Cartão de crédito não é seguro

13fev11

fonte da imagem: http://g1.globo.com

Nos últimos três meses meu cartão de crédito foi cancelado duas vezes por suspeita de clonagem. Fiquei curioso e fiz algumas perguntas ao setor de furtos e fraudes da Visa. Segundo eles, a moda agora é comprar pela Internet com o cartão alheio. Será que isso pode acontecer com você? Claro que pode! Leia este post e saiba como se prevenir.

Quem lembra das velhas maquinetas manuais de cartão de crédito? São tão primitivas que procurei no Google e desisti. Mas não é preciso ir tão longe para perceber o falho modelo de segurança dos cartões de crédito. Quem ainda usa cartão com tarja magnética? Tem muita instituição que trabalha apenas com ele. Como é feita a compra com este tipo de cartão? Você vai à loja, passa o cartão e assina o comprovante. Isso é seguro?

Quando o vendedor colhe sua assinatura, ele confere se é realmente sua? Ele por acaso pede algum documento oficial com foto? Ele é capaz de comparar as assinaturas? O vendedor foi treinado para identificar fraude? Infelizmente sabemos que na maioria dos casos a resposta é não para todas as perguntas. Mesmo assim a transação é autorizada e vai bater lá na sua fatura. Não seria tão simples se a transação fosse autorizada mediante senha? Para isso surgiu o cartão com chip!

Com o cartão com chip você está seguro? Digamos que esteja mais seguro que o cartão magnético. Mas o magnético poderia exigir senha mesmo não sendo com chip? Boa pergunta, pois cartões de débito são assim há muito tempo! Mas não vou entrar neste detalhe da discussão. O fato é: simplesmente por te exigir uma senha, o cartão com chip já se torna menos inseguro. Contudo existe um ponto que todos eles pecam: a compra via Internet.

Quem já comprou pela Internet sabe que é preciso do número do cartão, validade e um misterioso código de segurança que está escondido… no fundo do seu cartão?! Este código é uma senha imutável que vem impressa no próprio cartão. Mas que ridículo! De que adianta ter chip se existe um processo alternativo (e falho) de compra? E o pior: a falha de segurança está numa informação chamada ironicamente de código de segurança!

fonte da imagem: http://fraudes.no.sapo.pt

Todas as compras que fizeram com meu cartão partiram da Internet. Felizmente o setor de fraude da Visa identificou e cancelou as transações. Por mais ridículo que pareça, é muito fácil conseguir as informações para comprar pela Internet com o seu cartão. Basta que o vendedor (frentista, garçom, etc) decore a validade e o código de segurança. O número do cartão já consta na via do estabelecimento. Mas como evitar isto?

Você tem duas opções: ou você esconde seu cartão ou faz o que eu vou fazer de agora em diante. Decore o código de segurança e descarte-o. Como descartar? Para os casos de impressão em alto-relevo, risque-o com faca. Para os demais casos uma caneta de DVD já resolve.

Não consigo acreditar como empresas do porte da Visa (e concorrentes) em pleno 2011 trabalham com um esquema tosco desses! Como a corda sempre parte no lado mais fraco, vamos tomar uma atitude. Chega de alimentar vagabundo! Se você também está revoltado com tudo isso, deixe a sua opinião aí nos comentários.

About these ads


26 Responses to “Cartão de crédito não é seguro”

  1. O pior que a parte mais insegura para os cartões, compra via internet, é a que mais está crescendo nesses últimos dias. O crescimento das compras via internet chega a ser exponencial além de também aumentar o valor desses produtos.Realmente uma coisa para se preocupar.

  2. Não entendo o motivo de não pedir a senha em compras pela internet…
    Talvez para não deixar que terceiros tenham acesso a ela…
    Não pensei em todas os riscos… mas certamente os bancos deveriam ter um setor forte com bastante profissionais capacitados preparando mecanismos mais seguros.

  3. 3 Marcos Santos

    Realmente não tinha atinado para esse sistema de “segurança”. Para efetuar comprar com o cartão de crédito (sem chip) utilizo ele e senha, claro que usando também o famoso e seguro “código de segurança”, mas certa vez precisei pegar um taxi saindo do Hospital São Rafael e a operadora de taxi não tinha um com a maquinenta do Visa disponível. Resultado, passei os dados por telefone e o famoso código de segurança: Taxi liberado!!
    Não aconselho, de forma nenhuma, ninguém a fazer isso, pois tive sorte de não ter o cartão clonado, até hoje!!

  4. Legal a dica Zyc. Nos últimos 6 meses passei por isto 2 vezes.

  5. Passei por isso quando estava em Itacaré, em férias. Na hora do checkout no hotel, meu cartão estava bloqueado. Constrangedor.

    Neste post você simplesmente esqueceu das compras feitas por telefone em Pizzarias, restaurantes, etc, que precisamos dar de mão beijada todas as informações.

  6. 6 Filipe Charuk

    Coincidentemente, numa das oportunidades recentes de conversa, Eu e Cleverson discutiamos sobre a segurança em compras na Internet. Eu criticava, afirmando não confiar; ele defendia, afirmando, categoricamente, não ter tido problemas… Mas ironia do destino, ou não, surge este post.
    Quando critiquei, argumentei que as compras realizadas fora de estabelecimento comercial (especialmente aquelas feitas por telefone ou internet) trazem, consigo, a impessoalidade e a insegurança na realização das transações; por telefone (ou pela tela), não se sabe, realmente, estar, ou não, falando com a empresa. Afinal, apenas NÓS fornecemos, de boa-fé, os dados pessoais. Mas, quantos de nós pedimos, ou nos preocupamos em comprovar a Empresa do outro lado da Linha ou da Tela?! Já experimentou pedir o CNPJ da empresa?! Para eles, este número tem a mesma importância do nosso CPF. NENHUMA DELAS FORNECE!!! Mas, “para sua segurança esta ligação estará sendo gravada”(sic)!!!
    Com uma convivência diária, com problemas deste tipo, (desculpem!! Não me apresentei como integrante do PROCON, embora, aqui fale em nome próprio), noto que grande parte dos problemas com cartão de crédito referem-se ao acúmulo de débitos, resultante de “COMPRAS NÃO RECONHECIDAS”. Tecnicamente, o que temos em mãos, e chamamos de “cartão de crédito”, eles consideram (se referem) como “Plástico”.
    Nestes “plásticos” constam uma numeração que as vezes é diferente do número que aparece descrito em nossas faturas, dando potencial indício da existência de um segundo “plástico” que podemos não ter em mãos, ou simplesmente, tratar-se do cartão antigo, que deverá ser bloqueado/cancelado para evitar problemas.
    Outro problema, não raro, é a ocorrência “Extravio do Cartão”. Supreendentemente, as empresas costumam acertar nossos endereços para enviar as faturas, mas eventualmente não acertam para enviarem o “plástico”, que supostamente, sai de lá bloqueado. Ou seja, costumeiramente, lançam-se faturas para cartões nunca recebidos, nunca desboequeados, por exigirem informações de ordem pessoal; mas, nos quais computaram-se algumas compras.
    OXENTE, quem as fez?! Quem, em meu nome, desbloqueou o “plástico/cartão”?! Quem sabe nome de pai, mãe, nome completo e os três primeiros dígitos do CPF?! Resp.: “Deus é quem sabe” (?!)
    Mas nós não pagamos Taxas, Tarifas e Encargos para eles saberem essas respostas?! Ou seja, SE “Deus é quem sabe”; Então: “DEUS QUE LHE PAGUE”!!!

    • Mas o que citei não é uma falha proveniente da compra via Internet em si, e sim do esquema fraco do cartão de crédito. Relações de negócio e trabalho via Internet é a tendência (ou realidade?) que não podemos fugir. Cabe a nós encontrarmos formas mais seguras de fazê-las. Voltando no tempo onde as compras eram feitas em espécie, quem não tinha medo de andar com dindin no bolso? E nem vou falar dos cheques… enfim, é a evolução. Problemas sempre existiram e sempre existirão. O post não invalida a minha defesa em relação à evolução proporcionada pela Internet, e sim crítico o modelo falho e ridículo das empresas de crédito.

      A meu ver, não confiar no modelo de compras via Internet por causa da falha no cartão de crédito é o mesmo que não confiar na compra tête-à-tête por causa dos assaltos nas ruas.

      • 8 Lorena

        Boleto, oras. Cartao na net nao eh seguro. Ha quem invada sistemas de seguranca internacional, que dira site de uma mera empresa.

  7. 9 Magno

    Creio que a visa esta mudando o sistema deles. Moro em portugal e fui carregar o celular com o cartão de credito do brasil no site da operadora e achei estranho quando fui direcionado para uma página do Bradesco. Tive que inserir minha senha de acesso do internet banking e colocar uma das senhas do “cartão de senhas” de minha conta, obviamente depois de ter passado os informações do cartão.

  8. A MASTERCARD TEM UMA OPÇÃO QUE É ENVIADO PARA SEU

    CELULAR UMA MENSAGEM QUANDO UMA COMPRA É FEITA .

    ISSO É BOM , CASO ALGUÉM COMPRE COM SEUS DADOS VC

    RECEBE UMA MENSAGEM E TEM TEMPO DE LIGAR PRA OPERADORA

    PRA CANCELAR A COMPRA .

  9. 11 Walter

    Mas, mesmo riscando o código de segurança, ainda sobra uma brecha.
    Quando você faz uma compra legítima pela internet, além do número e vencimento do cartão, você também informa o código de segurança no site.
    Mesmo que você tenha comprado numa firma “idônea”, quem te garante que ninguém – um hacker, um funcionário desonesto, etc – não vai ter acesso aos dados do seu cartão e depois utilizálos em compras fraudulentas.
    Acho que no caso da compras pela internet, as empresas vendedoras só poderiam aceitar a transação se o comprador fosse o próprio titular do cartão, e mais, os sistemas das empresas conferissem os dados (nome, endereço, etc) com o sistema da operadora do cartão.
    Não fazem, porque isso demandaria mais tráfego de dados, exigiria programas mais aprimorados e equipamentos com maior capacidade para atender o tráfego de um volume maior de dados. E isso custa dinheiro para eles, e eles só quem lucro, não estão nem aí para as dores de cabeça do usuário.

    • Confirmação de dados também não garante muita coisa, pois alguém pode ter acesso aos seus dados.

      Na minha opinião a solução é simples: uma senha. Daí após sua compra ser autorizada e registrada, você modificaria a senha ;)

      • 13 Francisco

        essa é uma alternativa excelente mas exige memória… coitado dos idosos. o bradesco utiliza a chamada Chave de segurança um cartão com 50 senhas e isso aumenta em muito a segurança, mas somente em saques (ou seja nao serve pra NADA) e agora ainda tenho medo de me arrancarem a mão para sacarem com meu cartão… “passa o cartão e a mão! cartão e mão!” fico imaginando se com uma mão arrancada não dá pra sacar no bradesco (notem que o bradesco nao exige mais senhas para saques, basta aproximar a mão do “Leitor ~Mãe Dinah Systems” que o computador sabe que “é você” (pelo menos, é a sua mão…)

        Conclusão: isso tudo pra mim é PIADA e cara, se você NÃO é um milionário, o capitalismo conspira constantemente contra você, então, pra mim, o correto seria: GASTE BEM E NAO FINANCIE O CAPITALISMO SELVAGEM.

        cancele o cartão, ande com grana e compre em pequenos estabelecimentos. seja uma gente distribuidor de renda e não concentrador. a concentração de renda aumenta o poder das grandes empresas que burlam a fragilíssima democracia brasileira e o resultado é essa piada em que milionários dão risada e nós (tolos) discutimos incessantemente sem tomar atitude (que tomaríamos se fossemos uma sociedade mais séria)

        na minha opinião pessoal, gaste com viagens. e aproveite seu tempo que esse sim, acaba rápido! =D leia! desvencilhe-se do vício do consumo e da obsolescência programada.

        Eu mesmo não ligo pra essas coisas, nem TV eu assisto ]pois é uma assassina de mentes… e estou MUITO BEM assim, inclusive, tenho soluções criativas como a do CLEVERSON.

        o nome do cara já diz né é o cleverson o filho da inteligencia….. hahaha

        abraço a todos

  10. 14 Danilo Costa Viana

    Todo site que tem como opção de compra débito direto na conta te redireciona para o site do banco e a operação é toda feita por lá, inclusive a digitação da senha.
    Por que os cartões não redirecionam para seus sites é um mistério para mim, principalmente se levar em conta que muitas operadoras são dois mesmos bancos que acabei de mencionar.

    • 15 Francisco

      …mistério.

      • 16 Francisco

        acho que falar que é mistério é MUITA TOLICE.
        acredito que as emrpesas de cartões de crédito atuam de acordo com a “FORÇA SOCIAL” do país que está presente. EXEMPLO:
        NOS EUA é muito menos burocrático receber um ressarcimento. RESULTADO: preocupação MUITO MAIOR contra fraudes no cartão.
        BRASIL: grandes empresas sonegam, subornam, infiltram, apagam provas, conspiram, fazem leis e controlam a política:
        RESULTADO: dificuldade para o cidadão comum (explorado pelo sistema social brasileiro) receber ressarcimento ou realizar qualquer tipo de reclamação (e ser atendido)
        RESULTADO DOIS: EMPRESAS DE CREDITO ENTÃO INCENTIVAM O SISTEMA INSEGURO POIS POUCOS CASOS DE FRAUDE SÂO RESSARCIDO SEM CONTAR OS IDOSOS QUE NAO LEEM AS FATURAS E OS TROUXAS EM GERAL QUE NO BRASIL TEMOS AOS MONTES
        é LUCROOOOOO pra eles!

        RESULTADO TRÊS: este tipo de comportamento pode ser encontrado em TODAS as grandes empresas brasileiras (por que todo call center é igual? máquinas de desinformção e enganação?)

        =) espero ajudar sempre!

  11. 17 marcelo

    O jeito mais seguro é pagar por boleto. Agora imagina se algum cracker entra no site do submarino e a festa que ele faz…rrsrssr

  12. 18 Jose Costa

    Tive um compra feita recentemente, em meu cartão Bradesco-Visa pela internet e no site PagSeguro. A infeliz só não logrou êxito porque ela tentou fazer uma compra superior ao limite que eu tinha no cartão, e não foi aprovada, senão ela tinha se dado bem. O PagSeguro não me comunicou, que havia uma pessoa fazendo compra com o meu cartão, com outro nome, outro e-mail cadastrado e tudo mais, portanto não é tão Seguro assim. O que me alertou é que tenho o Infoemail do Bradesco e me comunicou.Agora, farei um cartão com limite bem pequeno, 300 a 500,00 para comprar coisas pequenas. SUGESTÃO: vou sugerir ao Bradesco, que ao invés de ser utilizado esse tal de Código de Segurança que esta impresso no verso dos cartões, para compras pela internet, porque não utilizar o cartão de códigos que temos para fazer transações pelo Internet Bank, e cada código utilizado, seria descartado pelo banco.Acho que seria mais uma segurança para o cliente portador de cartão de crédito..

  13. 19 Anderson Silva

    Eu posso mesmo riscar o código de segurança? Ou tem uma implicação no funcionamento do mesmo?

  14. 21 Jorge

    no comprovante da transação não aparece o numero completo do cartão mas os 4 ultimos so

  15. 23 mariza

    ontem pra minha surpresa aconteceu o q eu nunca esperava, compras feitas pela internet q eu desconheço, foi recarga de celular e quase 330 reais na boticario , nunca comprei perfume pela net, já liguei pra operadora do catão e vou ter que esperar, estou preocupada, alguem me aconselha????


  1. 1 Aplicativo Bike Rio « Cleverson Sacramento
  2. 2 Experimentei o Bike Rio « Cleverson Sacramento

E aí, o que você achou? Comenta aí...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s